Tipos de pele

Para fazer uma correcta análise de pele é essencial que a mesma se encontre limpa. Existem vários elementos que vão contribuir para uma melhor identificação do tipo e estado de pele, como a cor, o brilho, o tacto, a espessura, a vascularização, o grão de pele, a flexibilidade e acidentes cutâneos. A visão e o toque permitem-nos obter alguma informação sobre a pele e detectar irregularidades.

Os tipos de pele podem alterar ao longo da vida e os estados de pele são transitórios. Existem 3 tipos de pele: normal, seca e oleosa, que podem ter diferentes estados associados (mista, desvitalizada, desidratada,…).

Pele seca
Identifica-se por ser uma pele baça, de tom acinzentado, com uma espessura fina, suave ao toque e com tendência à descamação. No contacto com a água há uma sensação desconfortável de repuxamento. A pele seca pode ser alipídica, com deficiência de gordura, ou desidratada, com falta de água. A pele seca desidratada é mais comum em pessoas idosas. Este tipo de pele tem uma necessidade de hidratação mais intensa, uma maior propensão à formação de rugas e desenvolve facilmente linhas de expressão mais pronunciadas em torno dos olhos e boca.

Pele normal
É uma pele com boa hidratação e equilíbrio, caraterizada pela sua suavidade, firmeza e elasticidade. Não apresenta qualquer tipo de lesões ou doenças e requer menos cuidados. Tem um aspeto aveludado com cor e textura normais. É um tipo de pele difícil de encontrar na idade adulta.

Pele oleosa
Ao contrário da pele seca, a pele oleosa tem um aspecto muito brilhante devido ao excesso de sebo produzido pelas glândulas sebáceas. É uma pele espessa, de tacto untuoso, com poros dilatados normalmente obstruídos pelo excesso de sebo que promove o aparecimento de borbulhas e pontos negros. É um tipo de pele mais espessa e o aparecimento de rugas é tardio. A pele oleosa também pode ser desidratada, apresentando uma tendência fácil para a descamação e formação de rugas. É a pele mais fácil de tratar a nível cosmético.